A loucura dos defensores do livre mercado em 10 memes

Alguns memes clássicos da Anarcomiguxos, mais alguns inéditos, sobre a fé dos crentes no deus mercado e sua defesa cega do liberalismo econômico.


 

 

 

 

 

 


1. Somália, onde a distopia anarcocapitalista é real

A Somália possui um Estado falido, que sequer cobra impostos. Isso mesmo, na Somália se realizou o sonho miguxo do fim da cobrança de impostos, do livre porte de armas e da justiça privada das milícias e piratas.

2. Livre mercado para criar empregos

Crianças trabalhando em uma indústria têxtil na Georgia. Foto de Louis Hine (1909).

Dados empíricos mostram que algo próximo do pleno emprego no capitalismo só é possível com dirigismo estatal na economia, como foi o período pós-guerra no mundo desenvolvido, quando o keynesianismo se tornou regra. Mas para os crentes no deus mercado empirismo é invenção de comunista, eles sempre estarão certos “a priori”, então voltemos para a realidade dos EUA do início do século XX, período de liberdade total aos mercados, em que até crianças eram exploradas. E, não, isso não acabou com o desemprego, pelo contrário, a exclusão social era flagrante, com os inúmeros cortiços e moradores de rua do período.

3. Patrão como criador da riqueza

Cena da Família Dinossauro (1991-1994).

Dino o trabalhador que acredita na benevolência patronal, como representante dos nossos neoliberais pobres. Confira Dino tentando pedir aumento aqui.

4. Curtindo um livre mercado

A Grande Depressão nos EUA. Foto de Margaret Bourke-White (1937).

A insistência no liberalismo econômico teve um desfecho avassalador para a maior economia capitalista, os EUA, provocando um crise tão profunda que culminou na Segunda Guerra Mundial. Leia mais sobre a crise de 29 aqui.

5. A fé no deus mercado

Os defensores do livre mercado, apesar de se dizerem pessoas lógicas, agem como religiosos: ignoram as evidências empíricas do empobrecimento que o liberalismo econômico causa entre os mais pobres e o papel essencial do Estado para o desenvolvimento no Capitalismo, pregando sempre sua fé no capitalismo desregulado.

6. A polícia sem Estado malvadão

Sentinela ED-209 do filme Robocop (1987).

Robocop de 1987 é uma crítica ao governo neoliberal de Ronald Reagan (1981 – 1989). No filme, que se passa em 2029, são abordadas as consequências das privatizações, em que até cidades inteiras seriam privadas (Delta City). Localizado em uma Detroit decadente onde a criminalidade impera, o filme se tornou uma triste profecia da cidade real, a qual, com a saída das montadoras de automóveis nos anos 80, viu sua economia entrar em declínio. Entregue à lógica do mercado nos anos Reagan, hoje Detroit é uma das cidades dos EUA com as maiores taxas de desemprego, violência, população abaixo da linha pobreza e pessoas sem-teto.

7. Capitalismo sem Estado Social

Foto de Borg Mesch (1900) no Nordiska Museet.

A situação da classe trabalhadora em tempos de liberalismo econômico na Suécia. Na foto, a família Söderberg em Kiruna, vivendo no que conhecemos como favela. Para não morrerem de frio, a casa era isolada com turfa de montanha.

8. As consequências práticas da privatização total da saúde

Cena do seriado Spider-Man (1967-1970).

Nem os super-heróis escapam das consequências da privatização total.
(Clássico meme do Homem-Aranha vetorizado por Jorge Barqueiro).

9.A defesa do fim dos direitos trabalhistas

Capitalistas republicanos dando gargalhadas. Por que será? 🤔

10. A crença ingênua no liberalismo econômico

Cena do filme “It: A Coisa” (2017)

A criança dessa cena não se deu bem, assim como as crianças desprotegidas da exploração existente no capitalismo.


Gostou desta publicação? Então compartilhe-a com seus amigos!

Mostre Sua Reação

LOL LOL
123
LOL
Susto Susto
15
Susto
Amei Amei
59
Amei
Ué? Ué?
12
Ué?
Medo Medo
15
Medo
Molotov Molotov
67
Molotov
Não curti Não curti
19
Não curti
Triste Triste
14
Triste
Só de olho Só de olho
29
Só de olho
Anarcomiguxos

Porque o "anarcocapitalismo" está para o anarquismo como o emo está para o punk e a defesa da liberdade dos reaças é tão verdadeira quanto a democracia na Coreia do Norte.